JORGE RAMALHO

Jorge Ramalho é atualmente o mais novo dos cinco oleiros que ainda produzem o famoso barro negro de Bisalhães. Apesar de ter aprendido as técnicas de produção do barro desde pequenino – com o pai Sesiznando Ramalho – só se começou a dedicar a tempo inteiro por volta de 2010, quando regressou à vila depois de um período em que esteve emigrado. Descendente de várias gerações de oleiros de ambos os lados da família, Jorge Ramalho tem procurado fazer a ponte entre as técnicas tradicionais e a época atual, ao utilizar uma roda elétrica – que o próprio concebeu – e ao criar peças com um design mais depurado, condizente com a época contemporânea. Constitui uma voz crítica na forma como tem sido conduzido o processo de classificação do barro negro de Bisalhães a Património Imaterial da Humanidade, defendendo que ainda pouco foi feito pelos oleiros e pela divulgação das suas peças.