JÚLIA CÔTA

Nascida em 1935 na freguesia de Galegos (Santa Maria), Júlia Côta é uma figura incontornável no figurado de barro de Barcelos. Nascida no seio de uma família de reputados ceramistas – a sua mãe era a conhecida Rosa Côta e o seu avô, Domingos Côto, é considerado o criador do primeiro galo de Barcelos – foi com cerca de nove anos que começou a trabalhar no barro, tomando conta do negócio da família quando a sua mãe faleceu. Os seus bonecos de barro estão profundamente ancorados no imaginário popular minhoto, já que modela frequentemente galos de Barcelos, músicos, diabos, peixeiras ou camponesas com grandes brincos de ouro. Contudo, não raras vezes, Júlia Côta dá largas à sua imaginação, criando criaturas fora do reportório mais tradicional. A pintura dos seus bonecos é amplamente elogiada, quer pelos motivos quer pela profusão de cores vivas que utiliza. De personalidade expansiva, é em sua casa que mantém o ateliê, recebendo calorosamente quem a quiser visitar.