TI GUILHERMINA

Escultura em madeira, Ribeirinha, Vila Flor

Foi em 1909 que nasceu Guilharmina Júlia, mais conhecida como Ti Guilhermina, em Vila Flor, região de Trás-os-Montes. Começou desde cedo a acompanhar o pai no trabalho de moleiro, junto às margens do Tua, na aldeia de Ribeirinha. Foi aí que conheceu o seu marido, João Lopes, e foi aí que viveu até falecer, em 2004, já perto dos 100 anos de idade.
Durante toda a vida, Ti Guilhermina trabalhou como moleira, primeiro ajudando o pai e depois o marido, que exercia a mesma profissão. Perto dos 80 anos, contudo, depois do marido falecer, começa espontaneamente a esculpir umas figurinhas em madeira de choupo, utilizando apenas um machado, navalhas e algumas limas. Como decoração, usa fitas de embrulho de presente, que amarra em laço às figuras, utilizando ainda canetas de feltro para colorir os olhos, a boca, as sobrancelhas e o cabelo, preenchendo de manchas multicolores o corpo de alguns dos seus bonecos. Homens e mulheres, árvores de pássaros e lagartos de várias formas são as peças mais comuns criadas por esta artista tardia. Fazia também frades e freiras, estes ricamente vestidos com roupas que ela própria costurava.
Quem a conheceu diz que Ti Guilhermina era particularmente afeiçoada aos seus bonecos, falando com eles e inventando histórias e namoros para cada um. Ingénuos, divertidos e originais, os objetos de Ti Guilhermina não encontram paralelo na produção artística portuguesa. Infelizmente, dado o curto tempo dedicado a esta actividade, poucas peças foram criadas, o que torna estes objetos extremamente raros.