ROSA RAMALHO

Rosa Ramalho (1888-1977) é uma das mais importantes ceramistas portuguesas, tendo marcado definitivamente a história do figurado de barro de Barcelos. É com ela que o figurado de produção anónima passa a figurado de autor, tendo sido impelida a assinar as suas peças pelo pintor e professor António Quadros. Apesar de ter começado a construir bonecos de barro ainda em criança, é apenas na década de 50, após ter ficado viúva, que o faz de forma sistemática, começando a vender em feiras locais e regionais do norte de Portugal. A sua obra pode ser dividida em duas partes: a que reflete o universo rural minhoto, composto por cristos, procissões e santos populares, e a que é povoada pelas suas criaturas fantásticas e surrealistas. As suas peças integram as coleções de diversos museus portugueses, mas o imaginário que criou encontra-se igualmente na obra dos seus descendentes, Júlia (neta) e António Ramalho (bisneto).

Fotografias de Eduardo Gageiro e Carlos Basto gentilmente cedidas pelo Arquivo Fotográfico do Museu de Olaria de Barcelos.